Instituto Liga Social

Gazeta do Povo: Origem da Filantropia nos Estados Unidos

Existe nos Estados Unidos uma cultura muito forte de doação, que surgiu muito antes da Bill and Melinda Gates Foundation ou da iniciativa Giving Pledge. O Giving Pledge, para quem não conhece, é uma iniciativa criada por Bill Gates e Warren Buffet que convida os bilionários do mundo a se comprometer a doar mais da metade de suas fortunas para causas sociais durante a sua vida ou em seu testamento (http://givingpledge.org). Atualmente, mais de 100 bilionários, incluindo Mark Zuckerberg , Michael Bloomberg e Richard Branson, já assinaram cartas se comprometendo a doar suas fortunas.
 
Pensando em como esta cultura de doação de grandes fortunas surgiu nos Estados Unidos e qual a motivação dos primeiros grandes filantropos a se envolver em causas públicas, retrocedemos à segunda metade do século XIX quando os empresários Andrew Carnegie e John D. Rockefeller estavam construindo os seus monopólios como pioneiros nas indústrias do aço e do petróleo, respectivamente.
 
Ao estudar a biografia destes dois homens, ambos de origem humilde e que em 1896, junto com J. P. Morgan tinham uma fortuna equivalente às 40 pessoas mais ricas da atualidade, nota-se que eles passaram suas vidas inteiras competindo.
 
Na primeira metade de suas vidas a competição aconteceu no mundo dos negócios e na segunda para o posto de quem doava mais dinheiro.
 
Carnegie foi o primeiro empresário de nossa era a se interessar por filantropia. Decidiu que iria doar toda a sua riqueza e falava que um homem que morre rico, morre desgraçado. Acreditava que os milionários deveriam doar todo o seu dinheiro e doou o equivalente à 67 bilhões de dólares nos dias atuais.
 
A maior parte do legado de Carnegie foi para a educação e para a construção de mais de 2.500 bibliotecas públicas, além do famoso Carnegie Hall, casa de espetáculos em Nova Iorque.
 
John D. Rockefeller criou aos 73 anos a Rockefeller Foundation, com uma dotação inicial de 38 bilhões de dólares em valores atualizados. A Fundação Rockefeller foi responsável por grandes avanços na saúde pública, como a penicilina, descoberta pelo cientista Howard Florey na Universidade de Oxford em 1941. Uma doação de cerca de US$ 500 mil em valores atuais feitos pela Fundação Rockefeller permitiu que Florey pudesse montar um time de pesquisadores e comprar equipamentos.
 
A soma atualizada das doações realizadas por John D. Rockefeller para a Igreja Batista americana, para universidades e para sua Fundação, equivale à 100 bilhões de doláres.
 
Ao ser questionado sobre a motivação de seu bisavó para doar tanto dinheiro, John D. Rockefeller IV afirma não saber se ele fez isso para obedecer algum preceito religioso ou se o fez efetivamente de coração. Mas ressalta que no final das contas esta motivação não fez diferença alguma.
 
Patricia Valente Haj Mussi, advogada, é fundadora do Instituto Ajuda Paraná, gestora de investimentos sociais que auxilia empresas e famílias a apoiarem as melhores iniciativas sociais do Estado.
 
http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/giro-sustentavel/origem-da-filantropia-nos-estados-unidos/
 
Instituto Ajuda Paraná 2015 - Todos os direitos reservados.